Selva Almada critica peso da religião em legalização de aborto no Brasil

Mulheres argentinas vão às ruas para protestar pela legalização do aborto no país (Foto: Getty Images)Mulheres argentinas vão às ruas para protestar pela legalização do aborto no país (Foto: Getty Images)

“Educação sexual para decidir, anticoncepcionais para não abortar, aborto legal para não morrer”. Foi sob essas palavras de ordem que 129 deputadas e deputados argentinos aprovaram a descriminalização do aborto no país.

Em votação acirrada, indefinida até os últimos minutos, o projeto de lei que defende a legalização da interrupção voluntária da gravidez até a 14ª semana passou pela Câmara dos Deputados, em Buenos Aires, e agora segue para o Senado. “Havendo aprovação no Senado, existe uma terceira instância, a sanção presidencial. O presidente Mauricio Macri já se pronunciou publicamente dizendo que não iria exercer seu direito de veto, mas não há como ter certeza até o fim do processo todo”, explica a advogada argentina Ana Casarin.

Macri tem dez dias para vetar. Se não o fizer, a lei deve ser publicada no Boletim Oficial e, se não for estipulado um prazo diferente no próprio texto, ela passará a ter vigência oito dias após a publicação. “Porém, para o efetivo exercício do direito, para que as mulheres possam ir na rede pública e ter acesso ao aborto num hospital público, de maneira gratuita e segura, a lei ainda precisa ser regulamentada”, esclarece Ana.

Em entrevista, a escritora argentina Selva Almada, que se opõe ao atual governo, disse que Macri fez o que qualquer governante deve fazer: colocar suas crenças pessoais de lado, abrir o debate, permitir que os cidadãos se pronunciem e que os legisladores trabalhem. “Não sei quais são suas razões mais íntimas, e também não me importo. Há algumas horas, 129 deputados votaram a favor da legalização do aborto graças à luta das mulheres nas ruas.”

Uma das convidadas da Feira Literária de Paraty (Flip) deste ano, Almada é autora do livro do livro Garotas Mortas (ed. Todavia, 128 págs., R$ 40,90), investigação sobre três feminicídios que ocorreram na Argentina logo após a redemocratização do país.  

A escritora argentina Selva Almada (Foto: Divulgação)A escritora argentina Selva Almada (Foto: Divulgação)

Mortes maternas

“A clandestinidade mata”, pontuou a deputada argentina Victoria Donda Perez na defesa de seu voto. Seu pensamento é amplamente difundido entre as mulheres do país, que fazem questão de reforçar que essa batalha já vem sendo travada há anos. “Nos últimos meses, o debate se deu aos gritos, em voz alta, mas não começou agora. Podemos dizer que agora tomou a sociedade. Todos e todas nos animamos a falar de algo que era um segredo aberto: o aborto existe, são 500 mil por ano, a questão é descriminalizá-lo”, defende Almada.

Segundo a Anistia Internacional, o aborto é a principal causa de morte materna (quando mulheres morrem durante ou até 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração ou localização da gravidez) em 17 das 24 províncias argentinas.

“Apesar de a geração da vida exigir duas pessoas, os ônus da gravidez recaem única e exclusivamente sobre a mulher”, diz a advogada Marina Ganzarolli, fundadora da rede feminista de juristas deFEMde. A descriminalização da prática traria a “melhora dos índices de mortalidade materna e dos indicadores gerais de saúde sexual e reprodutiva das mulheres.”

Do lado de cá da fronteira

No Brasil, o aborto é crime para o qual existem três exceções: quando há risco de morte para a mãe, quando a gravidez é decorrente de estupro e em casos de feto anencéfalo. “Duas delas são legais, escritas no código penal. A terceira foi conquistada por jurisprudência, por decisão do Supremo Tribunal Federal”, explica Marina.

Todas as outras possibilidades são criminalizadas. “Isso faz com que agentes de saúde, médicos e enfermeiros tenham receio de realizar o procedimento, inclusive em casos legais. Muitos alegam objeção de consciência e não garantem a lei. Em alguns estados, essa é a primeira causa da morte materna, como por exemplo na Bahia, que é o estado com mais mulheres negras no Brasil.”

“O aborto já existe para mulheres brancas com privilégios econômicos. Então, quando a gente fala de direito ao aborto, fala de direito à vida”

Para ela, a questão ainda vai além da saúde pública e recai na liberdade e autonomia sobre o corpo. “Um dos mitos que envolvem o debate é que a legalização geraria um aumento no número de procedimentos, o que é a maior falácia do universo. Países que legalizaram o aborto e têm extensas pesquisas baseadas em evidências viram o número cair”, pontua.

Diferentemente da Argentina, pesquisas apontam que o tema do aborto divide opiniões entre a população brasileira, mas a maioria ainda é contra. Um levantamento do Latinobarômetro de 2015 aponta que 50,3% dos brasileiros defendem que o aborto “nunca é justificável”.

Brasileira também protestaram pelos direitos das mulheres em setembro de 2017 (Foto: Getty Images)Brasileira também protestaram pelos direitos das mulheres em setembro de 2017 (Foto: Getty Images)

Selva Almada acredita que o fato se dá pela influência da igreja no país. “Além do enorme peso da igreja católica, vocês também têm a popularidade da igreja evangélica”, diz. Na Argentina, existe uma melhor separação entre a igreja e o Estado. “No papel, somos países laicos, mas na prática, infelizmente, o catolicismo pesa nas decisões do Estado.”

“Espero que a Argentina abra um precedente para outros países da América Latina, porque obviamente não somos o único país em que as mulheres pobres morrem por abortar clandestinamente”

ADPF 442

A ministra Rosa Weber, relatora da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, convocou uma audiência pública para debater a criminalização do aborto até a 12ª semana de gestação. O objetivo é que o STF exclua do Código Penal a interrupção da gestação induzida e voluntária nas primeiras 12 semanas.

Marina Ganzarolli diz que a decisão na Argentina é positiva para o Brasil. “O principal impacto é movimentar a esfera pública e o debate na mídia, na família e nas escolas sobre a necessidade de rever a política pública e o acesso aos direitos sexuais reprodutivos das mulheres.”

Dado o atual contexto político do Brasil, no entanto, Marina não acredita que esse direito seja conquistado neste momento. “O STF não quer se colocar na berlinda com tamanha instabilidade política e ainda não tem maioria para ampliar, legalizar e descriminalizar o aborto no Brasil.”

A advogada Vivian Ferreira, também integrante da deFEMde, destaca ainda a falta de tempo hábil para a aprovação de uma pauta como essa antes das eleições e o desinteresse do governo Temer na pauta. “A questão é bastante polêmica e o governo está em uma condição complicada do ponto de vista de legitimidade, com baixíssimo índice de aprovação. Não poderia correr o risco de perder o apoio dos setores conservadores, que o sustentam, a poucos meses do processo eleitoral”, diz.

A audiência pública será realizada no plenário da 1ª Turma do Supremo, nos próximos dias 3 e 6 de agosto, a partir das 8h40.

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Agencias de Modelos BH Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias de modelos do Brasil Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo Estadão – Caderno de Moda Beleza, Moda e Agencias de Modelos do Brasil Mural Fashion ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda Jornal O Globo Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL , LEQUIPE AGENCE, Way Model

Selva Almada critica peso da religião em legalização de aborto no Brasil

Mulheres argentinas vão às ruas para protestar pela legalização do aborto no país (Foto: Getty Images)Mulheres argentinas vão às ruas para protestar pela legalização do aborto no país (Foto: Getty Images)

“Educação sexual para decidir, anticoncepcionais para não abortar, aborto legal para não morrer”. Foi sob essas palavras de ordem que 129 deputadas e deputados argentinos aprovaram a descriminalização do aborto no país.

Em votação acirrada, indefinida até os últimos minutos, o projeto de lei que defende a legalização da interrupção voluntária da gravidez até a 14ª semana passou pela Câmara dos Deputados, em Buenos Aires, e agora segue para o Senado. “Havendo aprovação no Senado, existe uma terceira instância, a sanção presidencial. O presidente Mauricio Macri já se pronunciou publicamente dizendo que não iria exercer seu direito de veto, mas não há como ter certeza até o fim do processo todo”, explica a advogada argentina Ana Casarin.

Macri tem dez dias para vetar. Se não o fizer, a lei deve ser publicada no Boletim Oficial e, se não for estipulado um prazo diferente no próprio texto, ela passará a ter vigência oito dias após a publicação. “Porém, para o efetivo exercício do direito, para que as mulheres possam ir na rede pública e ter acesso ao aborto num hospital público, de maneira gratuita e segura, a lei ainda precisa ser regulamentada”, esclarece Ana.

Em entrevista, a escritora argentina Selva Almada, que se opõe ao atual governo, disse que Macri fez o que qualquer governante deve fazer: colocar suas crenças pessoais de lado, abrir o debate, permitir que os cidadãos se pronunciem e que os legisladores trabalhem. “Não sei quais são suas razões mais íntimas, e também não me importo. Há algumas horas, 129 deputados votaram a favor da legalização do aborto graças à luta das mulheres nas ruas.”

Uma das convidadas da Feira Literária de Paraty (Flip) deste ano, Almada é autora do livro do livro Garotas Mortas (ed. Todavia, 128 págs., R$ 40,90), investigação sobre três feminicídios que ocorreram na Argentina logo após a redemocratização do país.  

A escritora argentina Selva Almada (Foto: Divulgação)A escritora argentina Selva Almada (Foto: Divulgação)

Mortes maternas

“A clandestinidade mata”, pontuou a deputada argentina Victoria Donda Perez na defesa de seu voto. Seu pensamento é amplamente difundido entre as mulheres do país, que fazem questão de reforçar que essa batalha já vem sendo travada há anos. “Nos últimos meses, o debate se deu aos gritos, em voz alta, mas não começou agora. Podemos dizer que agora tomou a sociedade. Todos e todas nos animamos a falar de algo que era um segredo aberto: o aborto existe, são 500 mil por ano, a questão é descriminalizá-lo”, defende Almada.

Segundo a Anistia Internacional, o aborto é a principal causa de morte materna (quando mulheres morrem durante ou até 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração ou localização da gravidez) em 17 das 24 províncias argentinas.

“Apesar de a geração da vida exigir duas pessoas, os ônus da gravidez recaem única e exclusivamente sobre a mulher”, diz a advogada Marina Ganzarolli, fundadora da rede feminista de juristas deFEMde. A descriminalização da prática traria a “melhora dos índices de mortalidade materna e dos indicadores gerais de saúde sexual e reprodutiva das mulheres.”

Do lado de cá da fronteira

No Brasil, o aborto é crime para o qual existem três exceções: quando há risco de morte para a mãe, quando a gravidez é decorrente de estupro e em casos de feto anencéfalo. “Duas delas são legais, escritas no código penal. A terceira foi conquistada por jurisprudência, por decisão do Supremo Tribunal Federal”, explica Marina.

Todas as outras possibilidades são criminalizadas. “Isso faz com que agentes de saúde, médicos e enfermeiros tenham receio de realizar o procedimento, inclusive em casos legais. Muitos alegam objeção de consciência e não garantem a lei. Em alguns estados, essa é a primeira causa da morte materna, como por exemplo na Bahia, que é o estado com mais mulheres negras no Brasil.”

“O aborto já existe para mulheres brancas com privilégios econômicos. Então, quando a gente fala de direito ao aborto, fala de direito à vida”

Para ela, a questão ainda vai além da saúde pública e recai na liberdade e autonomia sobre o corpo. “Um dos mitos que envolvem o debate é que a legalização geraria um aumento no número de procedimentos, o que é a maior falácia do universo. Países que legalizaram o aborto e têm extensas pesquisas baseadas em evidências viram o número cair”, pontua.

Diferentemente da Argentina, pesquisas apontam que o tema do aborto divide opiniões entre a população brasileira, mas a maioria ainda é contra. Um levantamento do Latinobarômetro de 2015 aponta que 50,3% dos brasileiros defendem que o aborto “nunca é justificável”.

Brasileira também protestaram pelos direitos das mulheres em setembro de 2017 (Foto: Getty Images)Brasileira também protestaram pelos direitos das mulheres em setembro de 2017 (Foto: Getty Images)

Selva Almada acredita que o fato se dá pela influência da igreja no país. “Além do enorme peso da igreja católica, vocês também têm a popularidade da igreja evangélica”, diz. Na Argentina, existe uma melhor separação entre a igreja e o Estado. “No papel, somos países laicos, mas na prática, infelizmente, o catolicismo pesa nas decisões do Estado.”

“Espero que a Argentina abra um precedente para outros países da América Latina, porque obviamente não somos o único país em que as mulheres pobres morrem por abortar clandestinamente”

ADPF 442

A ministra Rosa Weber, relatora da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, convocou uma audiência pública para debater a criminalização do aborto até a 12ª semana de gestação. O objetivo é que o STF exclua do Código Penal a interrupção da gestação induzida e voluntária nas primeiras 12 semanas.

Marina Ganzarolli diz que a decisão na Argentina é positiva para o Brasil. “O principal impacto é movimentar a esfera pública e o debate na mídia, na família e nas escolas sobre a necessidade de rever a política pública e o acesso aos direitos sexuais reprodutivos das mulheres.”

Dado o atual contexto político do Brasil, no entanto, Marina não acredita que esse direito seja conquistado neste momento. “O STF não quer se colocar na berlinda com tamanha instabilidade política e ainda não tem maioria para ampliar, legalizar e descriminalizar o aborto no Brasil.”

A advogada Vivian Ferreira, também integrante da deFEMde, destaca ainda a falta de tempo hábil para a aprovação de uma pauta como essa antes das eleições e o desinteresse do governo Temer na pauta. “A questão é bastante polêmica e o governo está em uma condição complicada do ponto de vista de legitimidade, com baixíssimo índice de aprovação. Não poderia correr o risco de perder o apoio dos setores conservadores, que o sustentam, a poucos meses do processo eleitoral”, diz.

A audiência pública será realizada no plenário da 1ª Turma do Supremo, nos próximos dias 3 e 6 de agosto, a partir das 8h40.

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Agencias de Modelos BH Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias de modelos do Brasil Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo Estadão – Caderno de Moda Beleza, Moda e Agencias de Modelos do Brasil Mural Fashion ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda Jornal O Globo Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL , LEQUIPE AGENCE, Way Model

Meghan Markle aparece em programa os 12 anos defendendo igualdade de gênero

Meghan Markle (Foto: Reprodução)Meghan Markle (Foto: Reprodução)

Parece que a agora esposa do príncipe Harry e duquesa de Sussex, Meghan Markle, era ligada à questões importantes para a sociedade desde cedo. Em um vídeo da década de 90, publicado pela NickSplat no Facebook, a pequena Meghan com então 12 anos aparece em um programa do canal Nickelodeon defendendo a igualdade de gênero.

No programa ‘Nick News’, Meghan aparece ao lado de colegas da mesma faixa etária assistindo a um comercial de televisão que dizia: “As mulheres estão lutando com panelas e frigideiras gordurosas”. Ela, então, comenta: “Quando vi o comercial pela primeira vez, eu sabia que algo precisava ser feito porque eu fiquei furiosa. Eu disse, espere um minuto, como alguém poderia dizer isso? E eu acho que vou escrever uma carta … [Como os meninos da minha turma disseram ‘é onde as mulheres pertencem, na cozinha’], sinto que eles estão crescendo e pensando que as meninas são menos do que eles; em como os meninos são melhores que as meninas”.

Meghan, então, escreveu para a empresa do comercial, a Procter & Gamble, e perguntou se eles poderiam mudar a palavra ‘mulheres’ por ‘pessoas’ na propaganda. Três meses depois seu pedido foi concebido. Não é incrível?!

“Se você vê algo que não gosta ou te ofende na televisão ou em qualquer outro lugar, escreva cartas e envie-as para as pessoas certas e você pode realmente fazer a diferença, não apenas para si mesmo, mas para muitas outras pessoas”, finalizou Meghan. 

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias de modelos do Brasil Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo Estadão – Caderno de Moda Beleza, Moda e Agencias de Modelos do Brasil Mural Fashion ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda Jornal O Globo Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL , LEQUIPE AGENCE, Way Model

Mistura fina: Estampas indianas, artesanato nacional invadem apê

Ana na cadeira Charles Eames, ao lado da mesa da marcenaria Baraúna e de vasos da Selvvva (Foto: Christian Maldonado)Ana na cadeira Charles Eames, ao lado da mesa da marcenaria Baraúna e de vasos da Selvvva (Foto: Christian Maldonado)

Pouco antes de se mudar com as irmãs, Thais e Lia, de Andradina, no interior de São Paulo, para a capital, há dez anos, Ana Carranca foi visitar a Ásia. Para forrar os móveis da casa nova, comprou os ikat (técnica em que os fios são tingidos antes de virarem tecido) mais bonitos que encontrou pela Indonésia. Mas, quando entrou no apartamento de 185 metros quadrados na Rua Oscar Freire, vitrine das principais grifes internacionais, desistiu de vestir almofadas e decidiu fazer roupas. Estava criada a Cru Ateliê, loja virtual com peças que combinam a expertise dos artesãos indianos com o design contemporâneo feito no Brasil. “Minha marca tem total conexão com o estilo da minha casa”, diz Ana Carranca, hoje com 30 anos.

A sala com móveis Vintage (Foto: Christian Maldonado)A sala com móveis Vintage (Foto: Christian Maldonado)Detalhe da entrada (Foto: Christian Maldonado)Detalhe da entrada (Foto: Christian Maldonado)

Para entender melhor esse conceito, basta entrar no lavabo do apartamento onde Ana vive e secar as mãos com panos azuis e verdes usados para fazer quimonos; ou deparar, no closet, com o sari indiano que virou duas calças. Como em sua moda, motivos asiáticos, artesanato e toques de brasilidade estão por todos os cantos do imóvel, construído nos anos 70. Isso quer dizer que uma imagem de Iemanjá comprada em Trancoso nas últimas férias pode dividir o quarto com um quadrinho kitsch que estampa o desenho de um bebê shiva. “Adoro objetos de gosto duvidoso.” A caixa de som toca Caetano Veloso no ambiente enfeitado com a foto de uma paisagem que ela mesma fez no Butão. “Não sou dessas que acham que tudo em um único tom faz um item vermelho acender”, diz. Ao contrário. “Quanto mais misturo estampas e cores, mais as coisas se destacam na decoração.”

Mesa de jantar com tronco dos anos 70 (Foto: Christian Maldonado)Mesa de jantar com tronco dos anos 70 (Foto: Christian Maldonado)

Para abrigar as três irmãs, a planta do apartamento passou por uma drástica reforma comandada pelo arquiteto André Vainer. A cozinha diminuiu e a sala, que parece ainda maior por causa das janelas de ponta a ponta, ganhou mais espaço. Antes usado como passagem, o corredor que liga os quartos à área de estar foi fechado com uma porta de correr e virou sala de televisão. As únicas partes da casa que permaneceram intactas foram os três dormitórios. “Um é acervo, o outro é meu, e o terceiro é onde meu namorado deixa as coisas dele”, conta a estilista. Apesar de, há seis anos, oficialmente morar só com o buldogue francês Paçoca (que durante este ensaio fotográfico estava na creche), o músico Lourenço Rebetez, 32 anos, passa grande parte do tempo por lá. “Ele não liga nada nada para design. Acha tudo meio bobeira.”

Cozinha de laca colorida (Foto: Christian Maldonado)Cozinha de laca colorida (Foto: Christian Maldonado)

A ideia de pintar os móveis da marcenaria Baraúna com laca rosa, laranja e amarela surgiu de uma viagem ao México realizada antes da mudança, ainda com as irmãs. Pontuado por marcas de design contemporâneas à sua – os vasos da loja de plantas Selvvva, o painel da Lurca, que faz peças inspiradas na tradicional azulejaria brasileira, o banco do MoBu, ateliê que produz mobiliário urbano. O décor ultracolorido tem uma trégua nos móveis em preto, branco e nude. São réplicas de cadeiras assinadas por Sergio Rodrigues e de clássicos de Charles Eames, como a poltrona que leva seu nome, todas com design vintage. “Isso é coisa da minha mãe.” Assim como o tronco que serve de base para a mesa de vidro, garimpado na fazenda de uma amiga na década de 70, e os quadros que ela e seu marido ganharam de artistas próximos – todos com dedicatórias.

Bebê Shiva na cabeceira da cama (Foto: Christian Maldonado)Bebê Shiva na cabeceira da cama (Foto: Christian Maldonado)

A próxima coleção de Ana, lançada no próximo mês, virá com estampas criadas por ela e confeccionadas à mão em Jaipur, na Índia, em modelagens simples. E, provavelmente, vestirá a turma mais cool da cidade. “É uma delícia ver meu estilo traduzido na minha casa e no meu trabalho.” Como uma coisa que só é única porque já se misturou um bocado.”

A estilista em seu quarto (Foto: Christian Maldonado)A estilista em seu quarto (Foto: Christian Maldonado)

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias de modelos do Brasil Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo Estadão – Caderno de Moda Beleza, Moda e Agencias de Modelos do Brasil Mural Fashion ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda Jornal O Globo Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL , LEQUIPE AGENCE, Way Model

Mistura fina: Estampas indianas, artesanato nacional invadem apê

Ana na cadeira Charles Eames, ao lado da mesa da marcenaria Baraúna e de vasos da Selvvva (Foto: Christian Maldonado)Ana na cadeira Charles Eames, ao lado da mesa da marcenaria Baraúna e de vasos da Selvvva (Foto: Christian Maldonado)

Pouco antes de se mudar com as irmãs, Thais e Lia, de Andradina, no interior de São Paulo, para a capital, há dez anos, Ana Carranca foi visitar a Ásia. Para forrar os móveis da casa nova, comprou os ikat (técnica em que os fios são tingidos antes de virarem tecido) mais bonitos que encontrou pela Indonésia. Mas, quando entrou no apartamento de 185 metros quadrados na Rua Oscar Freire, vitrine das principais grifes internacionais, desistiu de vestir almofadas e decidiu fazer roupas. Estava criada a Cru Ateliê, loja virtual com peças que combinam a expertise dos artesãos indianos com o design contemporâneo feito no Brasil. “Minha marca tem total conexão com o estilo da minha casa”, diz Ana Carranca, hoje com 30 anos.

A sala com móveis Vintage (Foto: Christian Maldonado)A sala com móveis Vintage (Foto: Christian Maldonado)Detalhe da entrada (Foto: Christian Maldonado)Detalhe da entrada (Foto: Christian Maldonado)

Para entender melhor esse conceito, basta entrar no lavabo do apartamento onde Ana vive e secar as mãos com panos azuis e verdes usados para fazer quimonos; ou deparar, no closet, com o sari indiano que virou duas calças. Como em sua moda, motivos asiáticos, artesanato e toques de brasilidade estão por todos os cantos do imóvel, construído nos anos 70. Isso quer dizer que uma imagem de Iemanjá comprada em Trancoso nas últimas férias pode dividir o quarto com um quadrinho kitsch que estampa o desenho de um bebê shiva. “Adoro objetos de gosto duvidoso.” A caixa de som toca Caetano Veloso no ambiente enfeitado com a foto de uma paisagem que ela mesma fez no Butão. “Não sou dessas que acham que tudo em um único tom faz um item vermelho acender”, diz. Ao contrário. “Quanto mais misturo estampas e cores, mais as coisas se destacam na decoração.”

Mesa de jantar com tronco dos anos 70 (Foto: Christian Maldonado)Mesa de jantar com tronco dos anos 70 (Foto: Christian Maldonado)

Para abrigar as três irmãs, a planta do apartamento passou por uma drástica reforma comandada pelo arquiteto André Vainer. A cozinha diminuiu e a sala, que parece ainda maior por causa das janelas de ponta a ponta, ganhou mais espaço. Antes usado como passagem, o corredor que liga os quartos à área de estar foi fechado com uma porta de correr e virou sala de televisão. As únicas partes da casa que permaneceram intactas foram os três dormitórios. “Um é acervo, o outro é meu, e o terceiro é onde meu namorado deixa as coisas dele”, conta a estilista. Apesar de, há seis anos, oficialmente morar só com o buldogue francês Paçoca (que durante este ensaio fotográfico estava na creche), o músico Lourenço Rebetez, 32 anos, passa grande parte do tempo por lá. “Ele não liga nada nada para design. Acha tudo meio bobeira.”

Cozinha de laca colorida (Foto: Christian Maldonado)Cozinha de laca colorida (Foto: Christian Maldonado)

A ideia de pintar os móveis da marcenaria Baraúna com laca rosa, laranja e amarela surgiu de uma viagem ao México realizada antes da mudança, ainda com as irmãs. Pontuado por marcas de design contemporâneas à sua – os vasos da loja de plantas Selvvva, o painel da Lurca, que faz peças inspiradas na tradicional azulejaria brasileira, o banco do MoBu, ateliê que produz mobiliário urbano. O décor ultracolorido tem uma trégua nos móveis em preto, branco e nude. São réplicas de cadeiras assinadas por Sergio Rodrigues e de clássicos de Charles Eames, como a poltrona que leva seu nome, todas com design vintage. “Isso é coisa da minha mãe.” Assim como o tronco que serve de base para a mesa de vidro, garimpado na fazenda de uma amiga na década de 70, e os quadros que ela e seu marido ganharam de artistas próximos – todos com dedicatórias.

Bebê Shiva na cabeceira da cama (Foto: Christian Maldonado)Bebê Shiva na cabeceira da cama (Foto: Christian Maldonado)

A próxima coleção de Ana, lançada no próximo mês, virá com estampas criadas por ela e confeccionadas à mão em Jaipur, na Índia, em modelagens simples. E, provavelmente, vestirá a turma mais cool da cidade. “É uma delícia ver meu estilo traduzido na minha casa e no meu trabalho.” Como uma coisa que só é única porque já se misturou um bocado.”

A estilista em seu quarto (Foto: Christian Maldonado)A estilista em seu quarto (Foto: Christian Maldonado)

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias de modelos do Brasil Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo Estadão – Caderno de Moda Beleza, Moda e Agencias de Modelos do Brasil Mural Fashion ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda Jornal O Globo Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL , LEQUIPE AGENCE, Way Model

Rachel Maia celebra a formatura da primeira turma do projeto Capacita-me

Rachel Maia, nome por trás do projeto Capacita-me (Foto: Joy Photography)Rachel Maia, nome por trás do projeto Capacita-me (Foto: Joy Photography)

Rachel Maia era só sorrisos na noite de sexta (20). Também, não era por menos. Ela comemorou no Shopping JK Iguatemi a formatura da primeira turma do seu projeto, o Capacita-me.

A ideia do programa, que tem certificação do Senac, é ajudar pessoas em condições menos favoráveis não só a terem mais chances no mercado de trabalho, como também conseguirem um emprego fixo ao final do curso. Com um total de 160 horas de aula, o Capacita-me abrange introdução ao comércio, técnicas de venda e apresentação pessoal.

“Esse momento significa que a gente concluiu um projeto, que a gente conseguiu fazer o início, o meio e o fim de algo pautado na educação”, disse ela para Marie Claire durante a festa de formatura, que aconteceu no espaço da Cyrela no shopping, com direito à show e muitos comes e bebes deliciosos.

Para a executiva, era importante que o projeto não desse apenas um certificado para os seus alunos, mas que eles também terminassem as aulas empregados, o que se tornou realidade para 50% dos alunos. “Eu ofereci para essas pessoas a oportunidade de vislumbrar um espaço no mercado de luxo também, porque, muitas vezes, elas pensavam que isso não era para elas”.

A primeira turma de formandos do Capacita-me (Foto: Joy Photography)A primeira turma de formandos do Capacita-me (Foto: Joy Photography)

Rachel contou com a ajuda de nomes como Taís Araújo (a madrinha da turma, que inclusive mandou um recado diretamente de Curaçao para os formandos), Bruno Gagliasso e Péricles para incentivar os alunos. “Mais do que isso, eles devem acreditar nos sonhos deles”, completa a empresária. “Mas para realizá-los, eles precisam de disciplina e planejamento, e é isso que estou instigando”.

Uma das alunas formadas, Ester Neves, tem 26 anos e não conseguia conter a alegria ao contar sobre a sua experiência no curso. “Ele abriu portas, e a Rachel mostrou oportunidades para a gente sair do comodismo e poder crescer, conseguir olhar o mundo de uma forma melhor”.

A aluna, que recebeu todo o apoio da família para fazer as aulas – e levava uma rotina dupla para dar conta do trabalho e do curso – diz que percebeu que tem muita capacidade de crescimento dentro de si e que nunca é tarde demais para tentar algo novo e explorar novas oportunidades: “Eu vi que eu posso crescer, que eu posso ser uma pessoa melhor, que eu posso ter uma carreira melhor”. E isso tudo, claro, vem com muito otimismo, afinal, Ester complementa com o que espera para o futuro: “Só progresso”.

A festa contou com shows, comes e bebes (Foto: Joy Photography)A festa contou com shows, comes e bebes (Foto: Joy Photography)

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias de modelos do Brasil Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo Estadão – Caderno de Moda Beleza, Moda e Agencias de Modelos do Brasil Mural Fashion ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda Jornal O Globo Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL , LEQUIPE AGENCE, Way Model